Simplicidade e temática adulta são os destaques do ótimo indie To Leave

14 de outubro de 2014

Uma das grandes surpresas que tive durante a Brasil Game Show 2014, foi ao jogar o game independente To Leave. Até então, eu não tinha sequer conhecimento de sua existência, e quando o vi no estande da Sony, já quis logo saber mais sobre o jogo. Seu visual já me chamou a atenção, e o gameplay parecia desafiador e viciante, o que acabei comprovando ao jogá-lo. Para minha surpresa, o game é desenvolvido pelo estúdio equatoriano Freaky Creations, e era um dos cinco jogos latino-americanos que estavam presentes no estande da Sony durante o evento que acabou neste domingo.

A temática do jogo é adulta, e trata de assuntos como depressão e os desafios da vida. O protagonista, chamado de Harm, decide deixar sua vida problemática para trás, saindo de um estado de inércia para correr atrás de seus objetivos, e faz uso de uma porta mágica para fugir. A jogabilidade é bem simples, mas desafiadora, o jogador deve guiar a porta através de diversos obstáculos para chegar a um bloco gigante rosa, que permite ao personagem entrar na porta e ir para outra área. Diversos blocos de cor azul estão no meio do caminho, e servem de checkpoint.

De início, tudo é muito simples, mas obstáculos e desafios mais difíceis são adicionados a medida que se progride pelas fases. Todos esses obstáculos e desafios são uma referência à própria vida e a busca pelo que se almeja para melhorá-la, o que não é nada fácil. E também por isso a dificuldade elevada do game. Seu visual é único, com o personagem parecendo desenhado e contando com fidelidade no movimento de sua roupa, enquanto voa pelos cenários com a porta mágica.

Outro grande destaque é a fantástica trilha sonora do game, o que torna a experiência ainda mais memorável. To Leave faz parte do programa de incubação da Sony na América Latina, e deve ser lançado em 2015 para PlayStation 4 e PlayStation Vita. Segundo Estefano Palacios, diretor criativo do game, To Leave não é apenas um jogo, mas uma forma da região da América Latina ganhar reconhecimento pelo desenvolvimento de jogos.

Redator da SuperGamePlay, se apaixonou por videogames na primeira vez que jogou Atari. Preza por uma boa história, é fanático por Metal Gear e está sempre em busca de bons jogos indies. Ama consoles, mas também não larga o PC. Tudo o que queria era mais tempo para terminar todos os jogos que gostaria.