Review – Resident Evil: Revelations 2 – Episódio 3: Julgamento

A Capcom lançou esta semana o terceiro e penúltimo episódio de Resident Evil: Revelations 2, chamado de Julgamento. Assim como aconteceu com o segundo episódio, este representa novamente uma melhora em relação a seu anterior, sendo até agora o melhor, o que esperamos que se repita também para a próxima e última parte da história.

RESIDENT EVIL REVELATIONS 2_20150311000756

Em Julgamento, a trama do jogo se intensifica cada vez mais, e embora seja bem simples, consegue manter o jogador vidrado e curioso por revelações dos mistérios em relação a ilha e aos experimentos realizados no local. Claire e Moira permanecem em busca de respostas, enquanto procuram também por Neil, membro da organização Terra Save onde as duas trabalham, além de ser o chefe delas. A parte com as duas personagens parece maior que dos episódios anteriores, e me tomou pouco mais de 2 horas para chegar ao final.

O que mais agrada no episódio é a presença de diversos puzzles inteligentes

Já a segunda parte, com Barry e a pequena Natalia e que normalmente acaba sendo chata, desta vez me surpreendeu, sendo direta e sem enrolações. Natalia, como sempre, apesar de ser muito útil, não é tão divertida de se controlar devido à falta de ação da garota. Jogar em single-player é o recomendado nesse caso, já que não é necessário ficar apenas com ela. Um problema disso no entanto, é que a personagem quando controlada pela IA não exerce suas habilidades, que é a de revelar itens e inimigos invisíveis. Ela acaba não revelando nada, o que torna necessário trocar para ela frequentemente.

RESIDENT EVIL REVELATIONS 2_20150310210354

O que mais me agradou no episódio, tanto com Claire e Moira quanto com Barry e Natalia, foi a presença de diversos puzzles inteligentes. Não são apenas tarefas como a de girar um objeto a fim de desbloquear um caminho, mas sim problemas mais elaborados que te farão morrer e fazer repensar o que deve ser feito. Tal aspecto é comum nos clássicos jogos da série, que pra mim é uma de suas maiores qualidades. Os puzzles não estavam tão presentes nos episódios anteriores, mas aqui certamente irão satisfazer àqueles que gostam desse tipo de desafio.

Assim como aconteceu com o segundo episódio, este representa novamente uma melhora em relação a seu anterior, sendo até agora o melhor

Apesar desse maior uso de puzzles, um dos pontos elogiados no primeiro episódio foi aparentemente esquecido aqui. Eu havia comentado que ao trocar para a personagem de suporte, por exemplo a Moira, e executar uma ação como desbloquear uma porta, mesmo ao trocar de volta para a Claire, Moira continuava empenhada em sua tarefa. Neste episódio temos um momento em que Natalia deve executar algo parecido, abrindo umas comportas para Barry. No entanto, a pequena garota só consegue fazer isso enquanto a estamos controlando, o que é um tanto desnecessário.

RESIDENT EVIL REVELATIONS 2_20150311215801

Em resumo, pode ser dito que o terceiro episódio de Resident Evil: Revelations 2 é até agora o melhor. Apesar de alguns dos problemas dos anteriores permanecerem, o episódio 3 conta com revelações na história e ótimos momentos de gameplay, incluindo um chefão que certamente será um desafio. O visual ainda dá a sensação de algo simples, porém o design das fases aqui se sobressai, e junto aos puzzles oferece uma ótima experiência de jogo. Da forma que o jogo veio evoluindo, o quarto episódio pode ser facilmente o melhor, já que é o que irá encerrar a história. Basta apenas manter as boas escolhas no gameplay, e claro, oferecer um final digno de um jogo da série Resident Evil.

  • Este review de Resident Evil: Revelations 2 – Episódio 3: Julgamento foi feito no PlayStation 4, com uma cópia do game enviada para nós pela Capcom.
A Capcom lançou esta semana o terceiro e penúltimo episódio de Resident Evil: Revelations 2, chamado de Julgamento. Assim como aconteceu com o segundo episódio, este representa novamente uma melhora em relação a seu anterior, sendo até agora o melhor, o que esperamos que se repita também para a próxima e última parte da história. Em Julgamento, a trama do jogo se intensifica cada vez mais, e embora seja bem simples, consegue manter o jogador vidrado e curioso por revelações dos mistérios em relação a ilha e aos experimentos realizados no local. Claire e Moira permanecem em busca de respostas, enquanto procuram também por Neil, membro da organização Terra Save onde as duas trabalham, além de ser o chefe delas. A parte com as duas personagens parece maior que dos episódios anteriores, e me tomou pouco mais de 2 horas para chegar ao final. O que mais agrada no episódio é a presença de diversos puzzles inteligentes Já a segunda parte, com Barry e a pequena Natalia e que normalmente acaba sendo chata, desta vez me surpreendeu, sendo direta e sem enrolações. Natalia, como sempre, apesar de ser muito útil, não é tão divertida de se controlar devido à falta de ação da garota. Jogar em single-player é o recomendado nesse caso, já que não é necessário ficar apenas com ela. Um problema disso no entanto, é que a personagem quando controlada pela IA não exerce suas habilidades, que é a de revelar itens e inimigos invisíveis. Ela acaba não revelando nada, o que torna necessário trocar para ela frequentemente. O que mais me agradou no episódio, tanto com Claire e Moira quanto com Barry e Natalia, foi a presença de diversos puzzles inteligentes. Não são apenas tarefas como a de girar um objeto a fim de desbloquear um caminho, mas sim problemas mais elaborados que te farão morrer e fazer repensar o que deve ser feito. Tal aspecto é comum nos clássicos jogos da série, que pra mim é uma de suas maiores qualidades. Os puzzles não estavam tão presentes nos episódios anteriores, mas aqui certamente irão satisfazer àqueles que gostam desse tipo de desafio. Assim como aconteceu com o segundo episódio, este representa novamente uma melhora em relação a seu anterior, sendo até agora o melhor Apesar desse maior uso de puzzles, um dos pontos elogiados no primeiro episódio foi aparentemente esquecido aqui. Eu havia comentado que ao trocar para a personagem de suporte, por exemplo a Moira, e executar uma ação como desbloquear uma porta, mesmo ao trocar de volta para a Claire, Moira continuava empenhada em sua tarefa. Neste episódio temos um momento em que Natalia deve executar algo parecido, abrindo umas comportas para Barry. No entanto, a pequena garota só consegue fazer isso enquanto a estamos controlando, o que é um tanto desnecessário. Em resumo, pode ser dito que o terceiro episódio de Resident Evil: Revelations 2 é até agora o melhor. Apesar de alguns dos problemas dos anteriores permanecerem, o episódio 3 conta com…

8

Excelente

Veredito final

Resident Evil: Revelations 2 vem chegando ao seu final evoluindo a cada novo episódio. As escolhas de gameplay no episódio 3, Julgamento, certamente foram acertadas. Até os momentos com Barry e Natalia se tornaram mais interessantes, e sem enrolações desnecessárias. Em ambas as partes, com Claire e Moira ou com Barry e Natalia, temos diversos puzzles para resolver, alguns que são simples o suficiente, e outros que geram um certo desafio. Esse elemento é o coração da série, e deve sim ser usado bastante. Apesar de não estar livre de problemas, este é o melhor episódio até agora, o que gera ainda mais expectativa pelo "final de temporada".

Nota

8

8

Redator da SuperGamePlay, se apaixonou por videogames na primeira vez que jogou Atari. Preza por uma boa história, é fanático por Metal Gear e está sempre em busca de bons jogos indies. Ama consoles, mas também não larga o PC. Tudo o que queria era mais tempo para terminar todos os jogos que gostaria.