Review – Game of Thrones – Episódio 6: The Ice Dragon

(Atenção, caso você não tenha jogado os episódios anteriores, este review terá alguns spoilers inevitáveis)

Enfim chegamos ao sexto e último capítulo de Game of Thrones da Telltale e “The Ice Dragon” é basicamente tudo que fãs do universo de George R.R. Martin já estão acostumados a esperar. O episódio é recheado de situações impossíveis e trágicas do início ao fim, algumas inevitáveis, outras baseadas em suas escolhas. Como fã de Game of Thrones sei muito bem quando esperar pelo pior, mas de qualquer forma ainda é difícil ver a situação se desenrolando com personagens que nos sentimos conectados ao longo de todos estes últimos meses. Acredito que o impacto é ainda maior, pois você está efetivamente controlando e tomando decisões por estas pessoas, diferente de uma situação na TV ou nos livros.

Portanto, inspirado pelo talento mortal de George R.R. Martin, a Telltale reproduz com competência as situações desesperadoras e impossíveis que nossos protagonistas se encontram e o fato de que ainda temos que tomar decisões em cima disso, deixa tudo mais pesado. No final do quarto episódio já fomos confrontados com a decisão mais difícil da série até o momento, porém The Ice Dragon leva esta dificuldade para outro patamar, justamente por contar não apenas com uma, mas com várias dessas decisões impossíveis ao longo da trama.

Dezenas de escolhas que você tem apenas alguns segundos para fazer, resolvem definitivamente as histórias de vários personagens e todas elas são apoiadas por uma infinidade de escolhas feitas nos episódios anteriores. Assim como o universo que inspira o jogo, somos sempre confrontados com a escolha entre dois males, sem escapatória e isto fica ainda mais claro nas histórias de Mira em King’s Landing e nos eventos que se desenrolam em Ironrath. Felizmente, quase nada foi feito em vão e a Telltale deixa isso bem claro nos créditos finais quando mostra um fantástico resumo de como foi seu comportamento e quais são as suas qualidades no universo de Game of Thrones.

sgp_review_got_ep6_(3)

No capítulo anterior, me preocupei em como a Telltale iria amarrar a história de Gared ao norte da Muralha, mas depois do anúncio que o game receberá uma segunda temporada, ficou mais claro que ainda existe uma certa liberdade criativa para explorar a história de Gared. Apesar de finalmente encontrarmos o que estávamos procurando e de começar a entender um pouco do que está ocorrendo, fica claro que Gared será o elemento que ligará as duas temporadas. Mesmo não tendo um final definitivo para o garoto, o fato de finalmente chegarmos ao destino e a inclusão de um pouco de magia e sobrenatural no universo do game é muito bem vinda e deve agradar bastante os fãs de Game of Thrones.

A história de Mira em King’s Landing havia me conquistado nos quatro primeiros episódios. A garota havia crescido diante de nossos olhos, com diálogos inspiradores com personagens importantes, além de decisões que poderiam impactar de forma mais concreta o destino dos Forresters. Porém, no quinto e neste último capítulo, a força e a determinação de Mira parece desaparecer e somos forçados apenas a controlar a garota a caminho de um destino pré-planejado pela Telltale. Temos muito pouco controle sobre suas decisões e mesmo quando existe uma escolha, esta se limita a ser preto no branco, ao invés de cheia de nuances e implicações como de costume.

sgp_review_got_ep6_(4)

Em Ironrath acontecem as cenas mais intensas e repletas de decisões do capítulo. Somos confrontados com uma batalha sangrenta aonde seu personagem tem que tomar decisões cada vez mais difíceis. As sequências são muito bem montadas e coreografadas, e as animações conseguem transparecer com competência a brutalidade do momento. Outro ponto alto de Ironrath (que estão espalhados durante todo o episódio) é que o jogo consegue nos dar uma ponta de esperança de que um plano impossível poderia dar certo e algo positivo pode acontecer para nossos personagens, mas vale lembrar que isto é Game of Thrones e a forma como o jogo quebra nosso coração é tão brutal quanto o combate.

The Ice Dragon tem uma narrativa implacável e raramente temos tempo para respirar. Me lembro que o destino de cada personagem só foi realmente me afetar, horas após ter terminado o jogo. Apesar de todas as qualidades, o dois grandes problemas deste capítulo são o número de pontas soltas que ficam e a sensação de impotência que temos em certos momentos. Minha frustração com a história de Mira (aonde parece não termos controle sobre as opções de diálogos), foi ainda mais reforçada pela brilhante e terrível cena final. Nem mesmo a grande batalha em Ironrath tem um final conclusivo satisfatório. É decepcionante investir mais de 12 meses nesta história e nestes personagens, para sermos tratados com um final que resolve apenas algumas questões e deixa várias outras abertas para uma segunda temporada recém-anunciada.

  • Este review de Game of Thrones foi feito no PC, com uma cópia do game enviada para nós pela Telltale.
  • Confira também o nosso review do primeiro episódio “Iron From Ice”, do segundo “The Lost Lords”, do terceiro “The Sword in the Darkness”, do quarto “Sons of Winter” e do quinto “A Nest of Vipers”.
(Atenção, caso você não tenha jogado os episódios anteriores, este review terá alguns spoilers inevitáveis) Enfim chegamos ao sexto e último capítulo de Game of Thrones da Telltale e "The Ice Dragon" é basicamente tudo que fãs do universo de George R.R. Martin já estão acostumados a esperar. O episódio é recheado de situações impossíveis e trágicas do início ao fim, algumas inevitáveis, outras baseadas em suas escolhas. Como fã de Game of Thrones sei muito bem quando esperar pelo pior, mas de qualquer forma ainda é difícil ver a situação se desenrolando com personagens que nos sentimos conectados ao longo de todos estes últimos meses. Acredito que o impacto é ainda maior, pois você está efetivamente controlando e tomando decisões por estas pessoas, diferente de uma situação na TV ou nos livros. Portanto, inspirado pelo talento mortal de George R.R. Martin, a Telltale reproduz com competência as situações desesperadoras e impossíveis que nossos protagonistas se encontram e o fato de que ainda temos que tomar decisões em cima disso, deixa tudo mais pesado. No final do quarto episódio já fomos confrontados com a decisão mais difícil da série até o momento, porém The Ice Dragon leva esta dificuldade para outro patamar, justamente por contar não apenas com uma, mas com várias dessas decisões impossíveis ao longo da trama. Dezenas de escolhas que você tem apenas alguns segundos para fazer, resolvem definitivamente as histórias de vários personagens e todas elas são apoiadas por uma infinidade de escolhas feitas nos episódios anteriores. Assim como o universo que inspira o jogo, somos sempre confrontados com a escolha entre dois males, sem escapatória e isto fica ainda mais claro nas histórias de Mira em King's Landing e nos eventos que se desenrolam em Ironrath. Felizmente, quase nada foi feito em vão e a Telltale deixa isso bem claro nos créditos finais quando mostra um fantástico resumo de como foi seu comportamento e quais são as suas qualidades no universo de Game of Thrones. No capítulo anterior, me preocupei em como a Telltale iria amarrar a história de Gared ao norte da Muralha, mas depois do anúncio que o game receberá uma segunda temporada, ficou mais claro que ainda existe uma certa liberdade criativa para explorar a história de Gared. Apesar de finalmente encontrarmos o que estávamos procurando e de começar a entender um pouco do que está ocorrendo, fica claro que Gared será o elemento que ligará as duas temporadas. Mesmo não tendo um final definitivo para o garoto, o fato de finalmente chegarmos ao destino e a inclusão de um pouco de magia e sobrenatural no universo do game é muito bem vinda e deve agradar bastante os fãs de Game of Thrones. A história de Mira em King's Landing havia me conquistado nos quatro primeiros episódios. A garota havia crescido diante de nossos olhos, com diálogos inspiradores com personagens importantes, além de decisões que poderiam impactar de forma mais concreta o destino dos Forresters. Porém, no quinto e neste último capítulo, a força e a determinação…

8

Excelente

Veredito Final

The Ice Dragon, o sexto e último capítulo de Game of Thrones é, em resumo, uma palavra: implacável. O jogo segue um ritmo alucinante, te dando poucos segundos para tomar dezenas de decisões definitivas na vida destes personagens que cresceram diante dos nossos olhos. Fãs de Game of Thrones sabem o que esperar, já que a Telltale reproduz com competência o talento mortal de George R.R. Martin. A falta de controle com a situação de Mira em King's Landing é frustrante, principalmente pela garota ser minha personagem favorita. Porém, a brutalidade da batalha em Ironrath e a "conclusão" da história de Gared refletem a competência da Telltale com este pedaço do universo de Game of Thrones. Uma pena é (após doze meses investidos nesta história), o jogo deixar tantas pontas soltas para a eventual segunda temporada.

Nota
8

Co-fundador e editor da SuperGamePlay. Fanático por games, já quebrou diversos controles jogando Decatlhon no Atari e passou incontáveis horas soprando cartuchos de Super Nintendo. Hoje passa o tempo livre em meio a centenas de jogos, dos mais variados estilos e plataformas.