Review – Game of Thrones – Episódio 2: The Lost Lords

(Atenção, caso você não tenha jogado o episódio anterior, este review terá alguns spoilers inevitáveis),

Após um ótimo início com o primeiro episódio “Iron from Ice” de Game of Thrones, a Telltale Games continua a mostrar que é mestre em transformar fantásticos universos existentes em algo completamente novo e igualmente envolvente. Diferente de jogos com The Walking Dead e The Wolf Among Us aonde temos histórias originais baseadas nestes mundos, Game of Thrones (o jogo) faz uso da vasta literatura de George R. R. Martin para trazer um ponto de vista adicional ao dia a dia de Westeros. Esta diferença, apesar de significante, não impacta em nenhum momento a qualidade da história, já que a Telltale tem a sua disposição milhares de páginas espalhadas em vários livros e centenas de horas do seriado da HBO.

Assim como no primeiro episódio, este segundo (de nome The Lost Lords), continua a narrar a história de vários pontos de vista diferentes. O jogo dá continuidade direta as histórias da jovem Mira Forrester (e suas intrigas com Tyrion Lannister e Margaery Tyrell em King’s Landing); Gared Tuttle que encontra Jon Snow na Muralha; além de introduzir outros dois “novos” membros da House Forrester que não irei mencionar aqui para não estragar a surpresa. A transição entre os quatro personagens principais é bastante natural e direta, algo também herdado com sucesso dos livros e da série de TV.

sgp_game_of_thrones_episodio2_review_(3)

A jovem Mira Forrester tem idade para beber?

Outra qualidade importante que se mantém firme neste segundo episódio é a excelente participação dos conhecidos personagens da série de TV, com a introdução do adorado Jon Snow (Kit Harington) que também faz um ótimo papel de dublagem. O bom trabalho de animação da Telltale, que foge do estilo gráfico dos jogos anteriores e mantém um padrão semelhante a pintura em quadro, continua a dar um pouco mais de expressão aos personagens. Porém, partes do cenário (e objetos) que são propositalmente borradas pelo estilo gráfico, começam a ficar mais aparentes em algumas cenas atrapalhando a imersão, algo que acontecia com menos intensidade no primeiro episódio.

Mesmo que “Iron from Ice” tenha servidor para introduzir personagens e a ambientação, o primeiro capítulo contou com um início e um fim frenético e excitante, algo que infelizmente não está presente neste segundo capítulo. The Lost Lords evolui muito pouco a narrativa do game. O capítulo começa exatamente de onde o anterior terminou e somos pipocados entre os quatro personagens diversas vezes, mas em nenhum momento fica a sensação de que determinada história evoluiu. Em algumas cenas inclusive, parecem que se passaram apenas alguns minutos (no tempo da história).

sgp_game_of_thrones_episodio2_review_(1)

Novos personagens são carismáticos e interessantes.

Outro detalhe que fazem deste segundo capitulo apenas uma sombra do primeiro é a quantidade de escolhas importantes que o jogador deve fazer, marca registrada (e o que eu mais gosto) nos jogos da Telltale. Em “Iron from Ice” fica bastante claro as inúmeras vezes que um diálogo ou uma ação terá impacto no futuro da narrativa. Em “The Lost Lords” além de uma quantidade bastante reduzida de opções, muitas das escolhas que imaginei que iriam ter consequências significantes não alteram basicamente em nada o decorrer da narrativa.

Além disso, a história é bastante expositiva e linear, oferecendo um pouco menos de intrigas que o costume (marca registrada de Game of Thrones). Inclusive o tempo de jogo (gastei por volta de uma hora e meia para concluí-lo) é inferior ao anterior. Porém, esta desacelerada tende a ser natural, já que o jogo será dividido em seis episódios (ao invés de cinco), o que faz com que alguns capítulos intermediários possam ser mais tediosos. O que me deixa tranquilo é que estamos falando da Telltale, que continua a mostrar sua competência em contar histórias, por isto espere um terceiro capítulo muito mais revelador e excitante. Game of Thrones caminha firme para ser um excelente pedaço deste universo que tanto adoramos.

  • Este review de Game of Thrones foi feito no PC, com uma cópia do game enviada para nós pela Telltale.
  • Confira o nosso review do primeiro episódio “Iron From Ice”.
(Atenção, caso você não tenha jogado o episódio anterior, este review terá alguns spoilers inevitáveis), Após um ótimo início com o primeiro episódio "Iron from Ice" de Game of Thrones, a Telltale Games continua a mostrar que é mestre em transformar fantásticos universos existentes em algo completamente novo e igualmente envolvente. Diferente de jogos com The Walking Dead e The Wolf Among Us aonde temos histórias originais baseadas nestes mundos, Game of Thrones (o jogo) faz uso da vasta literatura de George R. R. Martin para trazer um ponto de vista adicional ao dia a dia de Westeros. Esta diferença, apesar de significante, não impacta em nenhum momento a qualidade da história, já que a Telltale tem a sua disposição milhares de páginas espalhadas em vários livros e centenas de horas do seriado da HBO. Assim como no primeiro episódio, este segundo (de nome The Lost Lords), continua a narrar a história de vários pontos de vista diferentes. O jogo dá continuidade direta as histórias da jovem Mira Forrester (e suas intrigas com Tyrion Lannister e Margaery Tyrell em King's Landing); Gared Tuttle que encontra Jon Snow na Muralha; além de introduzir outros dois "novos" membros da House Forrester que não irei mencionar aqui para não estragar a surpresa. A transição entre os quatro personagens principais é bastante natural e direta, algo também herdado com sucesso dos livros e da série de TV. A jovem Mira Forrester tem idade para beber? Outra qualidade importante que se mantém firme neste segundo episódio é a excelente participação dos conhecidos personagens da série de TV, com a introdução do adorado Jon Snow (Kit Harington) que também faz um ótimo papel de dublagem. O bom trabalho de animação da Telltale, que foge do estilo gráfico dos jogos anteriores e mantém um padrão semelhante a pintura em quadro, continua a dar um pouco mais de expressão aos personagens. Porém, partes do cenário (e objetos) que são propositalmente borradas pelo estilo gráfico, começam a ficar mais aparentes em algumas cenas atrapalhando a imersão, algo que acontecia com menos intensidade no primeiro episódio. Mesmo que "Iron from Ice" tenha servidor para introduzir personagens e a ambientação, o primeiro capítulo contou com um início e um fim frenético e excitante, algo que infelizmente não está presente neste segundo capítulo. The Lost Lords evolui muito pouco a narrativa do game. O capítulo começa exatamente de onde o anterior terminou e somos pipocados entre os quatro personagens diversas vezes, mas em nenhum momento fica a sensação de que determinada história evoluiu. Em algumas cenas inclusive, parecem que se passaram apenas alguns minutos (no tempo da história). Novos personagens são carismáticos e interessantes. Outro detalhe que fazem deste segundo capitulo apenas uma sombra do primeiro é a quantidade de escolhas importantes que o jogador deve fazer, marca registrada (e o que eu mais gosto) nos jogos da Telltale. Em "Iron from Ice" fica bastante claro as inúmeras vezes que um diálogo ou uma ação terá impacto no futuro…

7.5

Muito Bom

Veredito Final

The Lost Lords dá continuidade ao excelente trabalho que a Telltale está fazendo com o universo de Game of Thrones. O novo capítulo conta com pontos de vista e personangens novos, consegue manter o mesmo nível de tensão que adoramos na série e também traz de volta figuras conhecidas da TV em ótimas participações. Porém, este segundo capítulo é apenas uma sombra do primeiro. A história não evolui muito, poucas decisões importantes são colocadas nas mãos do jogador e até o próprio tempo de jogo é menor. A desacelerada porém, é natural já que o game terá seis capítulos no total. Mas já que estamos falando da Telltale Games, esperem um próximo episódio muito mais excitante e revelador.

Nota
8

Co-fundador e editor da SuperGamePlay. Fanático por games, já quebrou diversos controles jogando Decatlhon no Atari e passou incontáveis horas soprando cartuchos de Super Nintendo. Hoje passa o tempo livre em meio a centenas de jogos, dos mais variados estilos e plataformas.