Review – Batman: The Telltale Series – Episódio 3: New World Order

O crime não para nas ruas de Gotham, e o que também não pode parar é a eterna batalha do cavaleiro das trevas contra ele. Assim sendo, na última terça-feira, dia 25 de outubro, foi lançado o terceiro capítulo de Batman: The Telltale Series, intitulado de “New World Order”, que continua a saga do homem morcego contra seus vilões em sua versão da Telltale, e de certa forma também, do jogador. Seguindo o padrão já estabelecido até então pelos dois primeiros episódios, esse também vem recheado de tensão e surpresas, mas infelizmente, com alguns problemas.

batman_the_telltale_game_series_episode_3_5

No que diz respeito às mecânicas, não há muito o que dizer sobre esse terceiro capítulo, a não ser a falta de novidades, o que acaba sendo um ponto bem negativo. Em determinados momentos, o gameplay acaba por pedir algo mais da experiência, alguma novidade, e essa novidade não vem. O que ocorre nesse terceiro episódio é que parece ter faltado um pouco de tempero na mistura. Enquanto os dois episódios iniciais variaram melhor entre escolhas, eventos de ação e pequenas novidades, esse terceiro abusa um pouco de longas sequências textuais, ás vezes ligadas uma na outra, e mesmo quando não diretamente ligadas, conectadas por sequências de ação ou investigação sem nenhuma novidade, ou evolução. Um bom exemplo é a sequência investigativa que reutiliza uma lógica apresentada no capítulo um, mas é ainda mais simples e menos desafiadora que ela, passando a impressão de ter sido colocada ali somente para aumentar o tamanho do episódio.

batman_the_telltale_game_series_episode_3_4

Quanto ao enredo, os eventos desse terceiro episódio seguem com uma tensão especial em cima dos fatos narrados até então sobre o passado de Bruce Wayne, e acima de tudo, sobre a visão que a cidade terá sobre ele, e sobre o legado de sua família. Na verdade, toda a trama do capítulo gira em torno das relações e decisões tomadas por Bruce, deixando pouco espaço para o lado Batman da história. A relação do herói com a mulher gato é não só ponto chave nesse momento, como também a melhor parte do enredo. Infelizmente torna-se um tanto clara a falta de um impacto real na história devido a ações do jogador, enquanto o segundo capítulo termina com uma escolha tensa e surpreendente do herói, o terceiro episódio segue um rumo pré determinado pelo enredo, quase inabalado pela decisão que acabara de ocorrer. Mesmo que alguns personagens se alterem na forma de se portar e até fisicamente, o fato é que suas ações permanecem levando a história na mesma direção, com pequenos desvios, para não dizer que não há impacto algum.

batman_the_telltale_game_series_episode_3_3

Uma observação que não posso deixar de fazer é que nesse episódio pude perceber algumas falhas técnicas, que acabaram por diminuir um pouco a experiência. Em uma das sequências de ação mais criativas e bem desenvolvidas até o momento, a diminuição da taxa de frames por segundo me incomodou, deixando a cena um tanto quanto sem ritmo e até me fazendo perder o momento de certos eventos de ação. Em alguns pontos, a legenda em português simplesmente falhou, apresentando trechos de diálogo em inglês e em alguns pontos em que a cena apresentava um cenário muito grande, ocorriam algumas falhas de renderização, que não chegam a ser novidade nos jogos da Telltale, mas que incomodam quando apresentam, por exemplo, um bat-sinal falhando no céu.

batman_the_telltale_game_series_episode_3_9

Em resumo, o terceiro episódio deixou um pouco a desejar, caindo perceptivelmente o nível apresentado até aqui nos fantásticos dois primeiros episódios, mas ainda assim com suas reviravoltas e surpresas foi suficiente para me manter ansioso pelo quarto episódio. A falta de impacto imediato na história pode ser somente parte do curso planejado, e essas escolhas podem ainda vir a ter sentido mais perto do desfecho final, e as falhas técnicas parecem ser fruto de uma leve desatenção na hora de lapidar o produto final. Ainda creio que os dois episódios finais podem dar conta do recado e fazer dessa uma história memorável do homem morcego. Infelizmente no momento, só o que podemos fazer é aguardar.

  • Este review de Batman: A Telltale Series foi feito no PC com uma cópia do game enviada para nós pela Telltale Games.
  • Confira o nosso review do primeiro episódio, “Realm of Shadows”, e do segundo episódio, “Children of Arkham” .
O crime não para nas ruas de Gotham, e o que também não pode parar é a eterna batalha do cavaleiro das trevas contra ele. Assim sendo, na última terça-feira, dia 25 de outubro, foi lançado o terceiro capítulo de Batman: The Telltale Series, intitulado de "New World Order", que continua a saga do homem morcego contra seus vilões em sua versão da Telltale, e de certa forma também, do jogador. Seguindo o padrão já estabelecido até então pelos dois primeiros episódios, esse também vem recheado de tensão e surpresas, mas infelizmente, com alguns problemas. No que diz respeito às mecânicas, não há muito o que dizer sobre esse terceiro capítulo, a não ser a falta de novidades, o que acaba sendo um ponto bem negativo. Em determinados momentos, o gameplay acaba por pedir algo mais da experiência, alguma novidade, e essa novidade não vem. O que ocorre nesse terceiro episódio é que parece ter faltado um pouco de tempero na mistura. Enquanto os dois episódios iniciais variaram melhor entre escolhas, eventos de ação e pequenas novidades, esse terceiro abusa um pouco de longas sequências textuais, ás vezes ligadas uma na outra, e mesmo quando não diretamente ligadas, conectadas por sequências de ação ou investigação sem nenhuma novidade, ou evolução. Um bom exemplo é a sequência investigativa que reutiliza uma lógica apresentada no capítulo um, mas é ainda mais simples e menos desafiadora que ela, passando a impressão de ter sido colocada ali somente para aumentar o tamanho do episódio. Quanto ao enredo, os eventos desse terceiro episódio seguem com uma tensão especial em cima dos fatos narrados até então sobre o passado de Bruce Wayne, e acima de tudo, sobre a visão que a cidade terá sobre ele, e sobre o legado de sua família. Na verdade, toda a trama do capítulo gira em torno das relações e decisões tomadas por Bruce, deixando pouco espaço para o lado Batman da história. A relação do herói com a mulher gato é não só ponto chave nesse momento, como também a melhor parte do enredo. Infelizmente torna-se um tanto clara a falta de um impacto real na história devido a ações do jogador, enquanto o segundo capítulo termina com uma escolha tensa e surpreendente do herói, o terceiro episódio segue um rumo pré determinado pelo enredo, quase inabalado pela decisão que acabara de ocorrer. Mesmo que alguns personagens se alterem na forma de se portar e até fisicamente, o fato é que suas ações permanecem levando a história na mesma direção, com pequenos desvios, para não dizer que não há impacto algum. Uma observação que não posso deixar de fazer é que nesse episódio pude perceber algumas falhas técnicas, que acabaram por diminuir um pouco a experiência. Em uma das sequências de ação mais criativas e bem desenvolvidas até o momento, a diminuição da taxa de frames por segundo me incomodou, deixando a cena um tanto quanto sem ritmo e até me fazendo perder o momento de…

7

Muito bom

Veredito Final

O terceiro episódio segue mantendo um enredo bastante surpreendente e cheio de reviravoltas, porém peca em alguns detalhes técnicos e principalmente na falta de novidades de gameplay. Também fica óbvia a falta de impacto no enredo gerado pelas escolhas do jogador, que deveria ser um dos pontos fortes da experiência. Funciona bem como um episódio de ligação e para manter o interesse nos eventos a seguir, mas infelizmente não empolga como os episódios anteriores.

Nota

7

7

Redator da SuperGamePlay, escritor, quadrinista, apaixonado por games desde a primeira vez que viu um Mega Drive. Pode não fazer todas as quests secundárias mas vai avaliar cautelosamente a paleta de cores do menu inicial. Um grande filósofo de banheiro que sonha com o dia em que nunca mais precisará dormir.