Review – Batman: The Telltale Series – Episódio 2: Children of Arkham

Contar uma boa história é um grande desafio, mas recontar uma boa história, pode ser um desafio ainda maior. Ter que recriar eventos que já foram contados antes, e bem contados, diga-se de passagem, sem que os mesmos fiquem desinteressantes, é um trabalho árduo, principalmente quando se tem uma legião de fãs tão apaixonados ansiosos por algo novo, surpreendente, mas ao mesmo tempo conservador, como é o caso do universo do homem morcego.

O segundo episódio de Batman: The Telltale Series, chamado de “Children of Arkham” e lançado no último dia 20, segue os padrões do primeiro, sem acrescentar novidades em mecânica ou gameplay, mas não dá para dizer que isso seja um demérito nesse caso, pelo contrário, é interessante observar como, sem alterar o que já havia sido apresentado no primeiro episódio, a Telltale consegue causar uma sensação de evolução na experiência apenas utilizando as mesmas mecânicas de formas criativas, mesclando coisas, causando a sensação de algo novo.

review_batman_telltale_series_episode_2_cover

Um bom exemplo disso é a sequência que vai um pouco mais a fundo na cena da morte dos pais de Bruce, uma cena já vista tantas vezes e em tantas mídias, e que aqui é abordada de uma maneira nova, criativa, misturando flashbacks com gameplay em tempo real, sem em nenhum momento deixar a experiência chata ou tediosa.

No que diz respeito a história, a evolução do enredo segue em um ritmo muito interessante, ligando passado e presente, de uma forma extremamente corajosa e inesperada. Um ponto em que a Telltale acertou em cheio foi o de fazer uma história nova, inteiramente autoral, respeitando no nível certo as décadas de história do personagem, mas sem nenhum medo de alterar e criar o que fosse necessário para tornar a experiência realmente sua, algo reconhecível porém renovado.

review_batman_telltale_series_episode_2_1

Tentando ao máximo não dar spoilers, não posso deixar de expressar minha felicidade ao ver já nesse segundo episódio, que uma das minhas teorias mais interessantes sobre a série começa a se concretizar. Não é difícil perceber que vários dos problemas de Gotham, inclusive a existência de vários dos seus principais vilões está intimamente ligada a existência, e a algumas decisões tomadas pelo próprio Batman. Tendo isso em mente, em um jogo que te permite fazer escolhas pelo personagem, e que tem como premissa que a história se adapte a essas escolhas, é possível imaginar que o destino de vários personagens possam ser alterados tão drasticamente, afim de converter inimigos em aliados, heróis em vilões, e vice-versa é claro. As possibilidades que se cria com isso são inimagináveis, podendo levar o já corajoso enredo da série à situações inimagináveis no universo do herói, e é delicioso poder dizer que sim, isso só vai depender de você.

Neste segundo episódio de Batman: The Telltale Series, a Telltale segue entregando e surpreendendo nesse excelente game seriado, que se continuar nesse ritmo, tem tudo para ser não só um dos melhores games do herói, como também um de seus mais marcantes enredos, resta saber é claro se estamos a altura do desafio de ser Bruce Wayne e vestir o manto negro tão bem quanto ele, já estou ansioso pelo terceiro episódio para descobrir isso, vejo vocês em Gotham!

  • Este review de Batman: A Telltale Series foi feito no PC com uma cópia do game enviada para nós pela Telltale Games.
  • Confira o nosso review do primeiro episódio, “Realm of Shadows”.
Contar uma boa história é um grande desafio, mas recontar uma boa história, pode ser um desafio ainda maior. Ter que recriar eventos que já foram contados antes, e bem contados, diga-se de passagem, sem que os mesmos fiquem desinteressantes, é um trabalho árduo, principalmente quando se tem uma legião de fãs tão apaixonados ansiosos por algo novo, surpreendente, mas ao mesmo tempo conservador, como é o caso do universo do homem morcego. O segundo episódio de Batman: The Telltale Series, chamado de "Children of Arkham" e lançado no último dia 20, segue os padrões do primeiro, sem acrescentar novidades em mecânica ou gameplay, mas não dá para dizer que isso seja um demérito nesse caso, pelo contrário, é interessante observar como, sem alterar o que já havia sido apresentado no primeiro episódio, a Telltale consegue causar uma sensação de evolução na experiência apenas utilizando as mesmas mecânicas de formas criativas, mesclando coisas, causando a sensação de algo novo. Um bom exemplo disso é a sequência que vai um pouco mais a fundo na cena da morte dos pais de Bruce, uma cena já vista tantas vezes e em tantas mídias, e que aqui é abordada de uma maneira nova, criativa, misturando flashbacks com gameplay em tempo real, sem em nenhum momento deixar a experiência chata ou tediosa. No que diz respeito a história, a evolução do enredo segue em um ritmo muito interessante, ligando passado e presente, de uma forma extremamente corajosa e inesperada. Um ponto em que a Telltale acertou em cheio foi o de fazer uma história nova, inteiramente autoral, respeitando no nível certo as décadas de história do personagem, mas sem nenhum medo de alterar e criar o que fosse necessário para tornar a experiência realmente sua, algo reconhecível porém renovado. Tentando ao máximo não dar spoilers, não posso deixar de expressar minha felicidade ao ver já nesse segundo episódio, que uma das minhas teorias mais interessantes sobre a série começa a se concretizar. Não é difícil perceber que vários dos problemas de Gotham, inclusive a existência de vários dos seus principais vilões está intimamente ligada a existência, e a algumas decisões tomadas pelo próprio Batman. Tendo isso em mente, em um jogo que te permite fazer escolhas pelo personagem, e que tem como premissa que a história se adapte a essas escolhas, é possível imaginar que o destino de vários personagens possam ser alterados tão drasticamente, afim de converter inimigos em aliados, heróis em vilões, e vice-versa é claro. As possibilidades que se cria com isso são inimagináveis, podendo levar o já corajoso enredo da série à situações inimagináveis no universo do herói, e é delicioso poder dizer que sim, isso só vai depender de você. Neste segundo episódio de Batman: The Telltale Series, a Telltale segue entregando e surpreendendo nesse excelente game seriado, que se continuar nesse ritmo, tem tudo para ser não só um dos melhores games do herói, como também um de seus mais marcantes enredos, resta saber…

9

Fantástico!

Veredito Final

O segundo episódio segue os padrões do primeiro, sem grandes novidades de mecânica, o que não deixa de criar uma sensação de evolução e novidade, com base na criatividade das sequências de ação e decisão. O enredo segue corajoso, respeitando o histórico do personagem mas alterando e criando diversos pontos para tornar a experiência nova e imprevisível. As escolhas tem muita importância e impacto, talvez da forma mais bem aproveitada que a Telltale já entregou em seus jogos.

Nota

9

9

Redator da SuperGamePlay, escritor, quadrinista, apaixonado por games desde a primeira vez que viu um Mega Drive. Pode não fazer todas as quests secundárias mas vai avaliar cautelosamente a paleta de cores do menu inicial. Um grande filósofo de banheiro que sonha com o dia em que nunca mais precisará dormir.