Opinião: A Microsoft deveria tomar mais cuidado com o sucesso do PS4

13 de setembro de 2014

Números não mentem, especialmente os contidos nos relatórios mensais da NPD Group, o instituto de pesquisa mais respeitado da indústria dos games. Antes de analisarmos os resultados, é bom deixar alguns detalhes bem claros. A NPD analisa as vendas feitas no varejo dos Estados Unidos e não considera vendas digitais (como o Steam). A limitação do formato da venda (somente lojas físicas) e da localização (EUA), não resultam em números completamente precisos, mas a análise da NPD serve como uma ideia geral da direção do mercado, já que estatisticamente, o maior volume de vendas acontece justamente aonde é feito a análise.

No relatório de Agosto liberado a imprensa, a NPD revelou que jogadores continuam gastando mais em consoles do que em jogos. Foram U$ 561 milhões em novos aparelhos e U$ 231 milhões em games. Porém, os resultados mostram uma continua preferência pelo PlayStation 4. O console da Sony continua a ser o líder de vendas, pelo oitavo mês consecutivo. Nem mesmo a redução de preço do Xbox One (sem o Kinect) em Junho, ou o mais recente bundle do aparelho com Madden NFL 15 lançado em Agosto, contribuíram para elevar a participação da Microsoft.

A situação fica ainda mais preocupante e analisamos as vendas dos jogos em si. Confira você mesmo a lista dos games mais vendidos de Agosto. Entre parênteses, você confere em ordem, a plataforma aonde o mesmo foi mais vendido:

  1. Madden NFL 15 (PS4, Xbox One, 360, PS3)
  2. Diablo III: Reaper of Souls (PS4, Xbox One, 360, PS3, PC)
  3. Minecraft (360, PS3)
  4. The Last of Us (PS4, PS3)
  5. Call of Duty: Ghosts (360, Xbox One, PS4, PS3, PC, Wii U)
  6. Lego Marvel Super Heroes (360, PS3, Wii U, PS4, 3DS, DS, Xbox One, Vita, PC)
  7. Plants vs. Zombies: Garden Warfare (360, PS3, PS4, Xbox One)
  8. Watch Dogs (PS4, 360, PS3, Xbox One, PC)
  9. Battlefield 4 (360, PS3, PS4, Xbox One, PC)
  10. The Lego Movie Videogame (360, 3DS, PS3, Wii U, PS4, Xbox One, Vita)

Nem mesmo o queridinho Madden NFL, historicamente muito mais popular no Xbox do que no PlayStation escapou das garras da Sony este mês. O game vendeu mais no PlayStation 4 do que no Xbox One. Diablo 3: Ultimate Evil Edition também foi outro cujo número de vendas no console da Sony é bem superior. É importante notar que o PS4 superou o Xbox One em TODOS os jogos da lista, exceto Call of Duty: Ghosts, uma série que também é historicamente mais popular no Xbox.

Os números superiores de vendas do hardware do PlayStation 4 não só o colocam a frente na famigerada “console wars”, mas também carregam junto os números de vendas de jogos. No mês passado, mostramos que a Sony revelou que 10 milhões de PS4 foram vendidos em todo o mundo. A Microsoft por sua vez, prefere esconder os resultados e desde Abril (quando havia vendido 5 milhões) não revela novos números. Outro estudo de mercado (confira) mostra que o PS4 tem “roubado” jogadores da Microsoft e da Nintendo (1/3 dos atuais donos de PS4 não possuíam um PS3 anteriormente), Quando perguntada sobre os resultados de Agosto da NPD, a Microsoft se contentou em dizer a imprensa:

“As vendas do Xbox One estão em uma trajetória positiva, quase dobrando os números de Julho, em grande parte devido ao bundle com Madden NFL 15. As festas de final de ano estão chegando e estamos ansiosos para trazer novos bundles e ofertas incríveis (como compre o console e ganhe um jogo) para os consumidores”.

A conclusão mais importante que deve ser tirada destes números é que, para o nosso bem, a Microsoft deveria tomar mais cuidado com o sucesso do PlayStation 4. Um mercado cada vez mais polarizado não é bom para nenhum consumidor ou desenvolvedor. A empresa americana precisa tomar atitudes mais agressivas, principalmente com relação a quantidade (e exclusividade) de jogos que chegam aos seus consoles. Uma sugestão inicial era eliminar a ridícula cláusula de paridade que impede desenvolvedoras independentes de lançar jogos no Xbox One (entenda o assunto em nossa matéria).

Outra sugestão seria buscar novas parcerias com produtoras (da mesma forma como a Sony buscou a Activision e Destiny), ao invés de ficar presa a série Call of Duty como acontece à anos. Existe esperança para nós consumidores: O Xbox One chega em 29 novos países este mês (incluindo gigantes como China e Índia, aonde o PS4 já está presente) e novos bundles exclusivos já foram anunciados (como Sunset Overdrive e Call of Duty: Advanced Warfare). Estes podem ajudar a Microsoft a diminuir esta diferença em números com relação a Sony e jogadores (fanboys ou não) poderão dormir em paz, afinal de contas, um mercado competitivo é bem mais satisfatório para todos.

Gostaríamos de ouvir sua opinião nos comentários logo abaixo: A Microsoft consegue reverter ou igualar a situação? Aonde devem investir para conquistar mais consumidores e evitar o crescimento constante do PlayStation 4?

Co-fundador e editor da SuperGamePlay. Fanático por games, já quebrou diversos controles jogando Decatlhon no Atari e passou incontáveis horas soprando cartuchos de Super Nintendo. Hoje passa o tempo livre em meio a centenas de jogos, dos mais variados estilos e plataformas.