Horizon: Zero Dawn foi a incrível surpresa da Guerrilla Games na E3 2015

25 de junho de 2015

Revelado na E3 2015 durante a conferência da Sony, Horizon: Zero Dawn veio mais ou menos como uma surpresa. A existência do projeto da Guerrilla Games, criadora da série Killzone, já era conhecida, porém nenhuma informação sobre o jogo havia sido revelada anteriormente ao anúncio oficial durante o evento. Talvez por isso o anúncio pra mim foi tão impactante, pois não esperava de forma alguma um jogo no estilo do que foi apresentado. Ver um jogo terceira pessoa em um universo que lembra o de Enslaved: Odyssey to the West foi uma surpresa realmente muito boa.

Em seu anúncio, foi mostrado um vídeo explicando um pouco do universo, além de partes de gameplay, que depois foi jogado e explicado ao vivo em sala fechada no estande da Sony. E lá tivemos a chance de conhecer mais sobre as mecânicas do game. Situado em um universo com estranhas máquinas e humanos separados por tribos, o jogador irá controlar uma personagem feminina, da primeira tribo da região onde antigamente haviam cidades. O jogo é certamente futurista, em um cenário aparentemente pós-apocalíptico, e conta com elementos primitivos, como a caça e luta pela sobrevivência. Este é um dos fatores que me chamaram a atenção, pois são elementos que casaram bem no gameplay.

O objetivo principal na parte do jogo mostrada era caçar e recolher itens que caem de criaturas robóticas. Foi daí que se fez necessário o uso de furtividade entre matagais, onde a protagonista se agacha quando passa por eles, pois se uma criatura alertar as outras pode ser um problema. Sendo assim, fomos apresentados aos diferentes tipos de munição para o arco, que incluem flecha de choque, explosiva e normal, cada uma importante para determinados momentos. Vale notar também que as munições podem ser criadas tendo os materiais necessários, encontrados no mundo do game.

Obviamente, um problema maior acabou surgindo. Após matar algumas criaturas e pegar o que precisava, uma nova criatura bem maior surgiu para lidar com a personagem. A batalha aconteceu de forma inteligente, não apenas com tiros a torto e direito. Foi preciso utilizar vários tipos de munições diferentes, cada uma própria pra certos objetivos. A criatura era imune às flechas normais, então foi a hora de usar as flechas de choque, o que causavam interferência no bicho. Outro ponto importante no combate é incapacitar partes mais perigosas da criatura primeiro, como seu canhão quase letal, o que diminui consideravelmente seu poder de fogo, além de derrubar e permitir que a personagem o use.

E como pode-se imaginar, o canhão é bem poderoso. Para finalizar o bicho ainda foi necessário o uso de outra arma, que o deixa preso ao chão com várias cordas disparadas por ela. Apesar de ser um projeto ainda em desenvolvimento, já é possível perceber que há potencial, considerando que o game possa aplicar mais ideias inovadoras. Seu universo por si só já é interessante o suficiente para me deixar na expectativa por mais detalhes do game. Horizon: Zero Dawn é exclusivo do PlayStation 4 e tem lançamento previsto para 2016, ainda sem uma data específica.

Redator da SuperGamePlay, se apaixonou por videogames na primeira vez que jogou Atari. Preza por uma boa história, é fanático por Metal Gear e está sempre em busca de bons jogos indies. Ama consoles, mas também não larga o PC. Tudo o que queria era mais tempo para terminar todos os jogos que gostaria.